O Beijo

Pouca gente deve parar para pensar a respeito do que é o beijo ou o ato de beijar, mas é fato que praticamente todo mundo já nasce sendo beijado ou assistindo a episódios e cenas de beijos, pelos mais diversos motivos, ou sem motivo qualquer aparente.

Com múltiplos significados e intenções, a variar pelo contexto, participantes do ato e, logicamente, a cultura local ou regional, o beijo pode ser definido – por mais estranho que pareça tentar defini-lo – como o ato de alguém pressionar seus lábios contra os lábios de alguém (ou contra outras partes do corpo de uma pessoa, animal ou até contra objetos), com uma sucção subsequente, que pode variar de intensidade.

As conotações do beijo variam bastante, podendo expressar sentimentos de paixão, amor, respeito, afeição, cumprimentos ou saudações, amizade, boa fortuna, entre muitas outras expressões. Há situações em que o beijo integra parte de ritos, em sinal simbólico de devoção, respeito ou saudação, como por exemplo, o beijo dos noivos após a proclamação do ato matrimonial ou ainda de líderes de nações, ao se cumprimentarem.

Em se tratando de beijos entre pessoas, as regiões do corpo que são mais comumente alvos do beijo são os lábios, as bochechas, a cabeça – incluindo a testa – a mão e, claro, cada local desses pode carregar em si um significado social distinto.

No português, a palavra beijo se originou do latim “basium”, que dizem ter a conotação inerente de “toque nos lábios”.
Para os que curtem comemorar, o dia 13 de abril é considerado o dia mundial do beijo.

Expressão de amor e afeição

Embora na antiguidade, em algumas culturas, fosse comum o beijo reverencial ou cordial nos lábios, entre homens, atualmente, o beijo nessa região é consagrado como expressão física do amor conjugal, e as sensações olfativas, de toque e de sabor estão envolvidas. Acredita-se que, embora muitos mamíferos, aves e insetos troquem carícias parecidas com beijos, não se trata do ato tal como consumado pelos humanos.

O beijo romântico nas culturas ocidentais é algo recente, talvez por ser raramente mencionado mesmo na literatura da Grécia Antiga. Na era medieval, tornou-se um gesto social considerado um sinal de nobreza. Há quem afirme que o beijo romântico se originou e evoluiu a partir do beijo materno.

Embora possa ser tão impactante, o beijo não só transmite e compartilha sinais eróticos e intensos, mas também pode expressar algo mais durável e profundo como uma mensagem de afeição leal, gratidão, compaixão, simpatia ou até alegria profunda.

Outras características, curiosidades e peculiaridades do beijo incluem o beijo da paz, o beijo de respeito, beijo entre adolescentes, beijos (‘fakes’) em filmes e o beijo como terapia.